sábado, abril 13, 2024
Região

Caia na real, a Dengue pode ser fatal

Manhuaçu

por Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu

– Secretários e outras pessoas convidadas pelo Prefeito Nailton Heringer a se engajarem no combate à dengue

Início de novo ano, velhos e sérios problemas permanecem. A luta contra a dengue continua sendo uma grande preocupação e a expectativa do Governo Federal é que em 2014 o número de casos subam 30%, com relação ao ano passado.

O verão aí está, mais quente do que jamais, ocasião propícia para eclosão de ovos incubados. Não se tem ideia da proporção de mosquitos na região, então, todo cuidado é pouco.

Há folhetos, cartilhas, panfletos, folders e publicidades institucionais espalhados e afixados por todos os locais como comércio, indústrias, igrejas, etc., alertando sobre o perigo iminente de se contrair a doença causada pelo mosquito Aedes Aegypti.

Apesar de todos os esforços, a sociedade, ainda assim, parece ignorar as consequências e se descuida. É isso, justamente, que o mosquito quer: “picar os incautos”. Por isso o melhor é se prevenir.

A Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu procurou a coordenadora do Serviço de Vigilância Ambiental, Emilce Estanislau Muniz, para falar sobre o assunto. Preocupada com a situação, a coordenadora garante que o quadro não é alarmante, porém, é bom que todos se atentem ao perigo.

SC – Tem muita informação sobre a dengue, mesmo assim as pessoas não mudam os hábitos?

Emilce Muniz – Realmente, o cidadão por mais que ele esteja informado não assimila a consciência do perigo da doença.

SC – Na sua ótica, o que leva o cidadão a ignorar o perigo de contágio por dengue?

EM – Penso que temos um histórico muito recente de dengue. Esse fato leva muitas pessoas, por não terem tido contato com a doença, a acreditar na possibilidade de não acontecer com ele. Com isso pensa estar protegido.

SC – É verdade ou mito que o mosquito da dengue atacar somente à tarde?

EM – Existe uma chance maior do mosquito picar as pessoas no início da manhã e no final da tarde, só que ele, geralmente, encontra-se escondido dentro das casas. A qualquer momento em que ele seja incomodado parte para o ataque. O uso de repelentes para esse caso só tem eficiência se o cidadão aplicá-lo de duas em duas horas.

SC – O conhecido “fumacê” é eficiente no combate ao mosquito da dengue?

EM – O fumacê só deve e só pode ser usado como última arma no combate à dengue, porque é altamente tóxico. Então, as pessoas com problemas respiratórios, principalmente, podem sofrer consequências danosas. A melhor arma é não permitir que ele nasça.

SC – Que ações estão sendo tomadas pela Vigilância Ambiental para conter a proliferação desse maléfico mosquito?

EM – Temos intensificado as ações de tratamento, aumentamos a carga horária dos funcionários, inclusive trabalhando aos sábados. Intensificamos o trabalho de mobilização social e insistimos na divulgação ao combate pelos órgãos de comunicação e contamos, também, com a colaboração da sociedade num todo.

SC – O Governo Municipal tem colaborado nessa difícil tarefa, ou há outras fontes?

EM – O prefeito de Manhuaçu solicitou a todas as secretarias e demais órgãos da Prefeitura que se aliem, arregacem as mangas e se empenhem, ao máximo, no combate à dengue. Um mutirão da limpeza em todo município está ocorrendo e contamos com a participação popular, para diminuir os potenciais criadouros do Aedes Aegypti.

SC – Emilce, você acredita que as rodovias sejam os “corredores de entrada” desse inseto tão indesejável?

EM – O fato de estarmos inseridos numa região cortada por duas das mais importantes BRs, a 262 e a 116, é um complicador de disseminação do mosquito, mas o problema maior, como já disse, está dentro das residências.

SC – Existe, no Brasil, algum tipo de programa de pulverização para veículos que atravessam as divisas entre estados e municípios?

EM – Não é uma ação programada ainda. Por isso, conclamamos a população para colaborar nessa árdua tarefa de combate à dengue. Com essa adesão o trabalho da VigilânciaAmbiental surtirá mais efeito.

José Rafael

– A preocupação é de todos, uma vez que os índices indicadores da doença estão acima de 30%, se comparados com o período 2012/2013. Quanto às metas e planos de execução das atividades de combate ao mosquito da dengue, essas estão devidamente encaminhadas a todos os órgãos competentes, que atuam em conjunto com esta Secretaria. Com isso espero atingir nossos objetivos, até porque a Prefeitura não está poupando esforços nesse sentido.

Após a autorização dos vereadores, em Dezembro, vinte servidores estão contratados para a força tarefa de combate à dengue. Foram criadas duas equipes, uma está atuando na cidade e outra no meio rural. Trabalhos intensos de limpeza e retirada de entulho e detritos foram realizados nos bairros na Matinha, São Vicente e Centro. O distrito de Vilanova e até as margem da BR também foram limpos. Escolas também vêm recebendo a operação de limpeza.

 

 

 

 

 

 

 

Manhuaçu Notícia

 

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *