Protestos após condenação por massacre no Egito deixam mortos

Pelo menos 26 pessoas morreram – entre elas dois policiais – em protestos registrados neste sábado (26) no Egito após o anúncio da condenação de 21 pessoas à morte pelo massacre ocorrido no estádio de Port Said em fevereiro de 2012, quando 74 pessoas morreram em enfrentamentos entre torcedores de dois clubes de futebol. Segundo a agência Reuters, o número de mortos foi anunciado pela TV estatal egípcia. Mais de 200 pessoas ficaram feridas.

Centenas de pessoas se reuniram no exterior da penitenciária de Port Said, e realizaram protestos durante o julgamento e após a sentença. Testemunhas relataram o lançamento de bombas de gás e também terem ouvido disparos de tiros.

Moradores de Port Said protestavam contra a condenação de pessoas na cidade pelo caso. Um grupo tentou invadir a penitenciária para libertar os réus e atirou coqueteis molotov contra os policiais. Carros foram queimados nas ruas da cidade.

Duas delegacias de polícia foram atacadas – em Al-Sharq e Al-Arab. Ambulâncias transferiram os feridos aos hospitais locais da cidade. Todas as lojas fecharam suas portas. Foram feitos apelos nas mesquitas aos fiéis para que fossem doar sangue aos hospitais.

Segundo a France Presse, o exército egípcio decidiu se mobilizar neste sábado em Port Said para reestabelecer a calma diante dos confrontos. As forças armadas querem “reestabelecer a calma e a estabilidade na cidade de Port Said e proteger as instalações públicas”, indicou Ahmed Wasfi, um general do exército citado pela agência de notícias oficial.

Segundo a Reuters, a passagem de navios e as operações no Canal de Suez não foram afetadas pelos protestos e funcionavam normalmente neste sábado. Testemunhas, entretanto, afirmaram que as operações no porto de Port Said foram afetadas após a condenação.

Egípcios reagem neste sábado (26) ao veredito de pena de morte para acusados de massacre em estádio de futebol em Port Said, ocorrido em fevereiro de 2012, quando 74 pessoas morreram (Foto: Asmaa Waguih/Reuters)

No total, 73 pessoas foram julgadas pelo envolvimento nas mortes – destas, 21 foram condenadas à morte. A autoridade religiosa egípcia ainda irá revisar a sentença.

A Justiça ordenou que os acusados restantes permaneçam presos até a sentença definitiva. O juiz responsável afirmou que irá anunciar o veredito dos outros 52 acusados no dia 9 de março. Entre as pessoas em julgamento estão nove membros dos serviços de segurança egípcios.

Em 1º de fevereiro de 2012, 74 pessoas morreram e 254 ficaram feridas nos enfrentamentos no estádio de Port Said, que envolveu os torcedores do clube local, Al Masry, e do Al Ahly, do Cairo, o mais popular do país.

Torcedores dos dois times e parentes das vítimas celebraram a sentença no Cairo.

A sentença foi anunciada após um dia de extrema tensão no Egito, que nesta sexta-feira (25) lembrou o segundo aniversário da revolução contra Hosni Mubarak com protestos nos quais morreram pelo menos sete pessoas e centenas ficaram feridas.

G1

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *