quinta-feira, maio 23, 2024
Nacional

Desfile das melhores do carnaval do Rio tem duelo de gritos de ‘é campeã!’

As seis escolas mais bem colocadas no carnaval 2015 do Rio de Janeiro voltaram à Sapucaí na noite de sábado (21) e na madrugada deste domingo (22) no desfile das campeãs do carnaval carioca.

DESFILE DAS CAMPEÃ

As torcidas soltaram gritos de “é campeã!” para a Portela, quinta colocada, e Salgueiro, que ficou com o vice-campeonato. Parte do público vaiou a Beija-Flor antes do desfile da escola. Já os fãs da agremiação vibravam com o desfile e gritaram: “A campeã voltou!”.

O desfile das campeãs, que teve transmissão ao vivo exclusiva pelo G1, começou por volta das 22h. A Imperatriz Leopoldinense foi a primeira a desfilar. Depois, entraram na avenida Portela, Unidos da Tijuca, Grande Rio, Salgueiro e Beija-Flor. Cada escola teve 82 minutos para se apresentar.

A Imperatriz Leopoldinense, que abriu o desfile das campeãs, falou sobre os contos africanos e apresentou seu enredo “Axé, Nikenda! Um ritual de liberdade e que a voz da igualdade seja sempre a nossa voz”.

A escola levou novamente para a Sapucaí uma apresentação contra o racismo e de exaltação ao negro. O fio condutor do carnavalesco Cahê Rodrigues, que começou como assistente de Joãozinho Trinta ainda adolescente, foi a África de Nelson Mandela, o grande homenageado do desfile, líder da luta contra a segregação racial na África do Sul.

Em seu esquenta, a Imperatriz cantou “Liberdade, Liberdade”, um dos seus sambas inesquecíveis. A bateria nota 10 mostrou a cadência da escola de samba e o público cantou o samba-enredo, que levou nota 40 dos jurados.

Rainha da bateria Cris Vianna é o tesouro africano da Imperatriz. (Foto: Rodrigo Gorosito/G1)

A atriz Cris Vianna foi a primeira rainha de bateria a pisar na Sapucaí neste sábado de desfiles das campeãs. Outra musa da escola, a atriz Isabel Fillardis, tirou selfies com os fãs depois do desfile da Imperatriz. “Me diverti muito, dancei muito. É mais curtição”, disse. Isabel comentou o sexto lugar da escola: “Eu achei que poderia ter sido melhor um pouquinho. Mas estamos aqui, é o que vale”.

ídolo Zico e a jornalista Glória Maria também participaram do desfile da Imperatriz. “A Imperatriz merecia uma colocação melhor pelo samba no pé, pela garra, pela alegria, pelo enredo. Foi a escola mais genuinamente carioca que passou na avenida. Venho de Grito de Liberdade e zico de ausência de preconceito”, disse Glória Maria.

A Portela, quinta colocada no carnaval 2015 do Rio, foi a segunda desfilar na noite de sábado (21). A escola foi muito aplaudida ao entrar na Marquês de Sapucaí e ouviu gritos de “É campeã”.

Com enredo sobre os 450 anos do Rio de Janeiro, a Portela trouxe novamente drones, paraquedistas e a águia com o “corpo” do Cristo Redentor, que curvou diante do público.

Mesmo após receber notificação da Anac pelo uso de drone durante desfile, a águia-drone novamente voou. No desfile das campeãs, o pouso dos paraquedistas ficou para o final. O público aplaudiu muito o novo salto.

Sheron Menezzes, destaque da Portela, se prepara para o desfile das campeãs (Foto: Alexandre Durão/G1)

O carnavalesco Alexandre Louzada apresentou a Cidade Maravilhosa num estilo surrealista,como se pintada pelo espanhol Salvador Dalí. A escola abusou nas cores de suas fantasias, que recebeu nota 40 dos jurados neste carnaval.

Um princípio de fogo foi controlado no segundo carro da Portela quando o carro passava pelo setor 2 da Sapucaí, segundo o Corpo de Bombeiros. Ninguém ficou ferido, de acordo com os agentes.

A atriz Sheron Menezzes é a musa da Portela. Além da bela, a atriz Glória Pires e o marido Orlando Morais também desfilaram.

Ao final do desfile, uma enorme bandeira da Portela foi estendida no meio da Sapucaí.

Com o enredo “Um conto marcado no tempo – o olhar suíço de Clóvis Bornay”, a Tijuca foi a terceira a desfilar com uma viagem pelos símbolos, personagens e lendas da Suíça.

Sem o carnavalesco Paulo Barros (atualmente na Mocidade, que ficou em 7º), a escola conquistou o quarto lugar no carnaval deste ano.

A comissão de carnaval, formada por Mauro Quintaes, Carlos Carvalho, Annik Salmon, Hélcio Paim e Marcus Paulo, mergulhou fundo na pesquisa sobre lendas da Suíça como a da flor edelweiss, do arqueiro Guilherme Tell ou do cão São Bernardo, chamado pelos suíços de Anjo dos Alpes, por salvar pessoas soterradas em avalanches de neve.

A rainha de bateria da Unidos da Tijuca, Juliana Alves, saúda o público (Foto: Rodrigo Gorosito/G1)

A comissão de frente da escolam, que ganhou nota máxima dos jurados, desfilou esbanjando empolgação. O integrante da comissão que usou a fantasia de São Bernardo disse que perdeu seis quilos durante os ensaios de carnaval.

Um dos carros alegóricos da escola fez ‘nevar’ na Sapucaí e outro deixou rastros de “chocolate”.

A escola enfrentou alguns problemas durante o desfile. Os puxadores da Unidos da Tijuca discutiram no começo do desfile na Sapucaí, o dragão de um dos carros entrou na avenida quebrado e dois carros bateram na dispersão – o incidente não prejudicou o desfile.

rainha de bateria da Unidos da Tijuca, Juliana Alves, brilhou na Sapucaí.

Com o enredo “A Grande Rio é do baralho!”, do carnavalesco Fábio Ricardo, a escola de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi a quarta escola a entrar na Sapucaí.

A Grande Rio contou não só a história do baralho, mas também das cartas divinatórias, do tarô de Marselha e do baralho cigano de Madame Lenormand.

comissão de frente repetiu sua coreografia cheia de truques ao redor do universo de “Alice no País das Maravilhas”.

David Brazil e Susana Vieira desfilaram como rei e rainha de bateria da escola.

David Brazil e Susana Vieira são rei e rainha da bateria da Grande Rio (Foto: Rodrigo Gorosito/G1)

A Grande Rio veio repleta de musas. A atriz Thaila Ayala foi uma das belas que voltou a se apresentar na Marquês de Sapucaí. A modelo Rayanne Morais, casada com o cantor Latino, e a atriz e apresentadora Antonia Fontenelle, desfilaram como  destaques de chão.

A escola, terceira colocada do carnaval carioca, contou ainda com a presença da atriz Josie Pessoa, que interpreta a Du na novela “Império”. Ela mostrou samba no pé diante de um dos carros da Grande Rio. A atriz Paloma Bernardi comemorou a volta à Sapucaí. “Meu coração tá saindo pela boca. O sentimento de voltar para a Sapucaí é de vitória. Mas agora é pensar no ano que vem”, disse a atriz Paloma Bernardi.

Penúltima escola a desfilar, a Acadêmicos do Salgueiro conquistou o vice-campeonato de 2015 com o enredo “Do fundo do quintal, saberes e sabores na Sapucaí”, que falou da comida mineira.

A escola, que perdeu o título por quatro décimos, entrou na avenida perto das 3h30 da madrugada.

Atores da nova “Império” novamente foram destaque da escola. O segundo carro, que trazia Leandra Leal, Alexandre Nero e Lília Cabral no desfile oficial do Salgueiro veio com uma pequena alteração.

Leandra Leal esbanjou alegria e brilho no Salgueiro (Foto: Alexandre Durão/G1)

Leandra Leal desfilou novamente, mas Alexandre Nero foi substituído por Daniel Rocha, que interpreta Joao Lucas, o filho caçula do Comendador. No lugar de Lília Cabral veio Dani Barro, que interpreta Lorraine no mesmo folhetim. Ailton Graça veio no chão. “Depois do carnaval que o ano começa”, disse.

À frente da bateria nota máxima, a atriz Viviane Araújo brilhou e mostrou toda sua desenvoltura. Ela, que há oito anos ocupa o posto de rainha da bateria do Salgueiro, veio vestida de “Chama Acesa” e levantou a galera da arquibancada na Sapucaí. A musa Bianca Salgueiro completou o time de beldades da escola.

A grande vencedora do carnaval carioca voltou a desfilar na avenida por volta de 4h. A Beija-Flor ganhou o título com o enredo “Um griô conta a história: um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade”, que despertou polêmica porque a Guiné Equatorial vive uma ditadura militar.

A exaltação da cultura e da alma africana já havia dado à escola azul e branca da Baixada Fluminense vários campeonatos, que faturou seu 13º título no carnaval carioca.

Parte do público vaiou a Beija-Flor antes do desfile da escola. Já os fãs da agremiação vibravam com o desfile: “A campeã voltou!” e “É campeã”.

“Foi a disputa mais difícil que já vi, mas foi um enredo lindo, ganhou quem errou menos”, disse o intérprete, disse Neguinho da Beija-Flor.

Integrantes da Velha-guarda da Beija-Flor falaram sobre título da escola e mostraram animação para comemorar a vitória na Sapucaí.

Selminha Sorriso e Claudinho, porta-bandeira e mestre sala da Beija-Flor, comemoraram os 40 pontos no desfile. Selminha disse que cabelo black power está na moda.

Como no desfile de terça, o embaixador da Guiné Equatorial, Benigno Pedro Matute Tang (de boné azul), evoluiu no último carro da Beija-Flor.

A rainha da bateria da Beija-Flor, Raíssa de Oliveira (Foto: Alexandre Durão/G1)

Raíssa Oliveira, rainha da Beija-Flor, sambou cheia de felicidade na Sapucaí. Ela desconversou sobre a polêmica do enredo patrocinado da Beija-Flor sobre a Guiné Equatorial: “Não falo sobre política, só falo sobre carnaval.

 

G1 – Manhuaçu Notícia

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *