14ºBPM – Dia da Bandeira é comemorado em solenidade no pátio da unidade

Manhuaçu

POR  ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL 11º B

– Foi realizada ontem, no pátio do 14º Batalhão, em Ipatinga, uma solenidade alusiva ao Dia da Bandeira. Na ocasião foram incineradas as bandeiras antigas e substituídas por novas.

 

Além dos oficiais e praças presentes do 14º BPM e 12ª CIA PM IND MAT, estudantes do Colégio Tiradentes da Polícia Militar e alunos de escolas públicas, também compareceram e puderam presenciar uma cerimônia militar, que traz à tona o civismo, que vem sendo esquecido pela sociedade.

 

Durante a solenidade, o 3º Sargento Vilmar Cardoso, foi convidado para hastear a bandeira nacional, em homenagem ao seu último dia de serviço prestado, já que o militar irá para a reserva.

 

Após o hasteamento da bandeira, foi realizada a incineração dos pavilhões inservíveis. O 3º Sargento Fernando Pessoa dos Santos, foi designado para a função, já que ele é o militar mais antigo na ativa, do 14ª Batalhão.

 

A solenidade foi finalizada com o desfile da tropa em continência ao pavilhão nacional.

 

Curiosidades

 

Em 19 de novembro de 1889, a bandeira nacional foi criada, apenas quatro dias após a proclamação da república. O projeto do estandarte brasileiro foi aprovado e entregue ao pintor Décio Vilares. Atualmente, o pavilhão, juntamente, com o Hino, Selo e as Armas da República, compões os símbolos nacionais.

 

Toda a composição da bandeira tem um significado. O retângulo verde o losango amarelo, representam, respectivamente, nossas florestas e a riqueza mineral de nosso solo. O círculo azul e a faixa branca se referem ao nosso céu estrelado e a paz.

 

As constelações que figuram na bandeira correspondem ao aspecto do céu, observado na cidade do Rio de Janeiro, às 20h30 do dia 15 de novembro de 1889, data da proclamação da república; devem ser consideradas como vistas por um observador situado fora da esfera celeste.

 

Caso haja novos estados, estes serão incluídos no círculo azul, abaixo da faixa branca, sem afetar a disposição estética original estabelecida no anexo do decreto nº 4, de 19/11/1889. Serão suprimidas as estrelas correspondentes aos estados extintos, permanecendo uma para representar o novo estado, resultante de fusão, caso haja.

 

A faixa branca com o dístico “Ordem e Progresso “, grafado em letras verdes, corta a esfera azul diagonalmente, de baixo para cima. Essa faixa significa o equador, por isso existe apenas uma estrela colocada acima dela, no hemisfério norte, a Spica, que representa o estado do Pará, localizado quase totalmente acima da linha do equador.

 

O lema “Ordem e Progresso”, escrito sempre em verde, sintetiza ideais positivistas do filósofo francês Augusto Comte: “o amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim”.

Manhuaçu Notícia

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *