Fim do contrato de trabalho na Prefeitura de Manhuaçu

Manhuaçu

Por Manhuaçu Notícia

 

Certo, ou errado; isto não vem ao caso.

– Os gestores eleitos pelo povo se julgam patrões dos funcionários municipais, estaduais e federais, porém, esquecem que eles são funcionários do povo e que estes funcionários públicos também fazem parte de seu eleitorado, esquecem que foram eleitos para trabalhar com o povo e para o povo.

Partindo do princípio de que todo poder emana do povo; sabendo que povo unido jamais será vencido. Vejam bem: de acordo com informações, o gestor dessa cidade assinou na justiça a extinção do contrato de trabalho, ele tem esse direito, mas será que por um segundo se quer ele pensou no número de funcionários que existe nas secretarias e autarquias interligadas a prefeitura, que são analfabetos sem nenhuma perspectiva no mercado de trabalho?

Olha minha gente; um funcionário trabalha um ano, renovam seu contrato, em dois anos já dá para saber se ele é bom, se tem competência. Não vamos dizer em português, ciência, geografia e história, mas muitos deles, enquanto alunos de ensino médio estão tentando calcular lá no papel determinada conta, eles te dão o resultado embora sejam analfabetos.

Gostaríamos que a situação fosse outra, que o analfabetismo não existisse que fosse coisa de um passado bem distante. Não estamos aqui para criticar ninguém, mesmo porque isso não nos compete, graças a Deus, tanto a gestão pública quanto o legislativo estão apoiando o Projeto Alfabetizando. Este projeto surgiu da preocupação em relação aos servidores que estão em risco de ficarem desempregados sem terem de onde tirar o sustento de suas famílias e deles mesmos, aja visto que vivemos em um mundo globalizado onde existe um mercado de trabalho bastante competitivo; isto para quem estudou e se preparou para tal; imagine essas pessoas? Quais seriam as chances delas?

Existem trabalhadores nas secretarias e autarquias que estão quase aposentando por tempo de serviço. É de conhecimento de todos que para isso será preciso que continuem contribuindo para o INSS. Mas como poderão contribuir estando desempregados?

Não basta dar o peixe; é preciso ensinar a pescar. Se você dá o peixe hoje, na semana seguinte estarão de volta porque o peixe acabou, mas se você dá o peixe e ensina a pescar eles não voltarão.

Talvez alguém possa pensar assim: “que se danem, isso não é problema meu”. Errado, isso é problema de todos. Da sociedade, do Judiciário e principalmente do Poder Executivo e Legislativo.

O POVO torna-se o maior poder instituído porque se ele não existisse não precisaria existir os outros três, possuindo o poder de destituir um político, seja na esfera municipal, estadual ou federal por meio de plebiscito.

Já dizia Ulisses Guimarães: “eu só tenho medo do poder que emana do povo. Quando o povo se revolta e sai para as ruas, só Deus segura”.

Existem quatro poderes:

1º – O POVO

2º – EXECUTIVO

3º – LEGISLATIVO

4º JUDICIÁRIO

Esses quatro poderes precisão trabalhar em conjunto para que tudo funcione a contento.

 

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *