Primeiro encontro Café e Cultura de Manhuaçu

No dia 16 de fevereiro, as 07h, houve a primeira reunião para tratar do assunto Café e Cultura de Manhuaçu, contando com a participação do professor e historiador Flávio Mateus, autor do livro; Republica do Silêncio.

TRAJETÓRIA  

Ele falou da sua trajetória de vida, ele que é filho de Manhuaçu, viveu maior parte de sua vida em Realeza, trabalhou por um tempo na Copa Real, estudou, formou se professor de história, posteriormente historiador, fez pós graduação para se preparar para escrever a história de Manhuaçu.

MOTIVAÇÃO

Tudo isso porque ao ouvir falar da Republica Manhuaçu, da moeda o Boró se interessou pelo assunto e começou a procurar por depoimentos e documentos que comprovasse o que havia acontecido de fato na época. Resgatando não só a história de um povo, mas também a história política do país, do estado e principalmente a história política do município.

A TEORIA DE QUE SANTO DE CASA NÃO FAZ MILAGRE

Ele falou também da falta de apoio a cultura, da dificuldade que teve que enfrentar para lançar seu livro, que o livro Republica do Silêncio tem sido vendido mais lá fora, que aqui em Manhuaçu.

SUGESTÕES

Nesse primeiro encontro algumas pessoas deram sugestões em como resgatar a história do município. Para isso, a sugestão foi que se emita a moeda o Boró para que as pessoas possam estar recebendo a mesma em compras acima de R$ 50,00, que posteriormente elas poderiam com ela estar recebendo descontos nas compras no comércio de Manhuaçu.

SUGESTÕES AGRADARAM O PREFEITO

O Prefeito Nailton viajou nessa sugestão e foi além: “eu ouvia aqui as sugestões e viajei literalmente, nós poderíamos emitir a moeda o Boró para que ela tivesse valor pelo menos nas nossas festas como a Feira da Paz, por exemplo; passou os portões do Parque de Exposição à moeda que estará valendo será o Boró”. Disse Nailton Heringer

O prefeito prosseguiu dizendo: “eu quero como prefeito deixar como marca um novo tempo na história de Manhuaçu, temos que resgatar nossa história e podemos fazer isso, pois o café já teve o seu apogeu e está começando a sua decadência, os europeus já não estão consumindo menos café porque estão passando por uma crise financeira, nós não temos aqui o Pico do Caparaó, mas tive uma surpresa bastante agradável, eu estive tratando de assuntos relativos ao nosso Campo de Avião, e recebi de um técnico da ANAC, o nome fantasia do nosso aeroporto de Santo Amaro de Minas que é; Aeroporto Parque Nacional do Caparaó, a estrutura para atender o turista em transporte e hotelaria tem que ser Manhuaçu, resgatando a republica Manhuaçu investindo na história e na cultura, teremos diversas opções turística a oferecer. Nós temos que explorar o turismo, temos condições para isso, temos o entroncamento de acesso a todas as regiões, e a indústria do turismo somos nós mesmos que fazemos”. Concluiu o Prefeito Nailton

 

Marta Aguiar

 

 

 

 

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *