Aplicação da Psicologia do Esporte

                Por Jesse HUDSON de Andrade

 

 

 

Com o advento de tantas tecnologias e a alto desempenho dos novos atletas que quase vivem para superar os seus próprios limites e recordes, vemos uma cobrança e alto nível de stress imputados aos atletas para melhora nos resultados das mais diversas modalidades esportivas, uma verdadeira busca de superação contra si mesmo e contra os demais competidores. Com os avanços da Psicologia Esportiva, hoje usada para otimizar os resultados e auxiliar os atletas em questões de stress e competições, além da pressão da torcida adversária veio se firmando no mundo esportivo como fator preponderante para da vitória.

Hudson – O que é psicologia esportiva e quais seus principais objetivos?

André Elias – É uma área da psicologia voltada para a manutenção, restauração do equilíbrio do atleta principalmente aqueles considerados de alto nível, tendo como finalidade investigar e intervir em todas as variáveis que estejam ligadas ao ser humano que pratica uma determinada modalidade esportiva e, em seu desempenho a intervenção psicológica e tão importante quanto à preparação fisiológica, vejo que o objetivo da psicologia esportiva é buscar o equilíbrio do ser humano.

Hudson – Quando se originou a Psicologia do Esporte no Brasil e com quem?

André Elias – Teve inicio em 1958, sendo seu precursor João Carvalhaes.

Hudson – Como a psicologia do esporte auxilia o atleta no quesito personalidade frente à mídia?

André Elias – A psicologia do esporte vai tentar auxiliar o individuo a não perder sua personalidade que é influenciada pela mídia, pois o atleta de alto rendimento passa a ter uma vida cheia de exposições, pelo fato de ter se tornado uma referência esportiva, assim, o trabalho do psicólogo pode se justificar por obter dados que auxiliem no trabalho emocional com esportista, tendo como objetivo geral investigar os níveis de estresse e ansiedade, em atletas de alto rendimento, sendo assim auxiliando no rendimento esperado do atleta de alto nível.

Hudson – Como são trabalhados os valores psicológicos na atividade física?

André Elias – A psicologia do esporte, e uma ciência que busca dar contribuições decorrentes da inserção no contexto esportivo. Algumas transformações externas, como a melhora da condição estética, financeira ou de inclusão social, somados aos aspectos internos, como o reforço e o desenvolvimento de valores de cooperação, amizade, solidariedade e a capacidade de compartilhar e de superar adversidades.

Hudson – Quais os principais mitos e verdades que envolvem a psicologia esportiva?

André Elias – Os principais mitos são que a psicologia do esporte é voltada apenas para os atletas profissionais; que a psicologia do esporte não tem utilidade. Uma das verdades é que a psicologia do esporte abrange todas as atividades físicas esportivas, que atuando em conjunto com demais ciências auxiliará o esportista a obter resultados melhores aumentando a eficiência de seu desempenho.

Hudson – Podemos entender que a psicologia esportiva é voltada somente para atletas de alto desempenho? E qualquer profissional com graduação em psicologia pode aplicá-la?

André Elias – Não! A psicologia esportiva pode ser implantada em qualquer centro esportivo, mesmo que seja amador ou apenas recreativo. Acredito que qualquer profissional da psicologia poderia aplicá-la, claro que um profissional com tal especialização obteria melhores resultados.

Hudson – Concluímos então que a psicologia do esporte, pode ser ainda considerado algo novo no mundo desportivo, podendo ser aplicada a todos os atletas, iniciantes ou não, os levando a busca do autoconhecimento e aperfeiçoamento real do espírito competitivo, com bases sólidas no aprendizado com erros e acertos, aumentando as possibilidades de sucesso devido a correta aplicação dessa ferramenta.

Foto: Praticantes de trekking subindo ao Pico da Bandeira

 

( Trekking é uma palavra de origem sul-africana que significa seguir um trilho[1] ou o chamado percurso pedestre e fazê-lo a pé. Como desporto está inserido na modalidade de pedestrianismo – http://pt.wikipedia.org/wiki/Trekking) .

André Elias da Silva – Psicólogo graduado em psicologia pelo Centro Universitário de Caratinga – UNEC em 07/12/2010.

As opiniões aqui expressas são de inteira responsabilidade de seus autores, e não expressam a opinião de nosso site. Salientamos que as informações aqui contidas não substituem as orientações dos profissionais da área médica.

Gostou deste texto/matéria? Compartilhe esta postagem com seus amigos

 

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *