Por mais inclusão, IF Sudeste MG dobra número de intérpretes de Libras

Desde janeiro deste ano, o IF Sudeste MG conta com 13 novos intérpretes de Libras, a Língua Brasileira de Sinais. Conforme explica Margarete Moreira Coutinho e Silva, coordenadora de Ações Inclusivas, os profissionais passaram por entrevista e análise de currículos e foram contratados através de pregão por Sistema de Registro de Preços, com o objetivo de fornecimento da mão-de-obra exclusiva para apoio aos discentes que são usuários de tal forma de comunicação.

Além da Reitoria, os campi Barbacena, Muriaé, Juiz de Fora, Rio Pomba, São João del-Rei e o Campus Avançado Ubá também receberam profissionais.

Atuação

Dentre os trabalhos desempenhados pelos intérpretes estão:

– a tradução e a interpretação Libras/Português e vice-versa, de maneira simultânea e consecutiva, junto à pessoa surda, com deficiência auditiva ou surdocegueira, nas atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas pela instituição;

– a consultoria na construção de materiais e recursos acessíveis tanto para os exames de seleção, como para as demais demandas acadêmicas;

– o acompanhamento da construção do Plano Educacional Individualizado – PEI, dos alunos surdos, com deficiência auditiva ou surdocegos, em parceria com dos demais profissionais envolvidos;

– o apoio aos professores, caso seja necessário e solicitado pelos mesmos, na compreensão da escrita dos alunos surdos, com deficiência auditiva ou surdocegueira, entendendo que a língua portuguesa é a segunda língua destes alunos.

Por uma instituição cada vez mais inclusiva

Conforme o reitor, André Diniz, as ações inclusivas são o encontro de várias perspectivas que confirmam os objetivos institucionais do IF Sudeste MG, principalmente aqueles relacionados à humanização das nossas relações, o conhecimento e a valorização das pessoas em suas singularidades e a integração ampla. Portanto, “esta contratação é um passo importante na construção de uma estrutura que facilite que qualquer pessoa seja acolhida pela nossa instituição e possa traçar um caminho emancipatório. Minhas expectativas são, sempre, de valorizar nossa diversidade e cultivar nosso terreno fértil para permitir uma representatividade orgânica e definitiva que atenda a todos, com olhar especial, neste caso, às pessoas com necessidades educacionais específicas”, avalia André.

A diretora da DIRAD, Diretoria de Apoio ao Discente,  Aurora Maria Baptista da Silva, corrobora a fala do reitor e enfatiza que a contratação representa mais um importante passo da instituição na busca por promover uma educação que se quer inclusiva e para todos e todas:

“A contratação destes profissionais representa uma grande conquista para toda a comunidade acadêmica, visto que proporcionará uma melhoria considerável no atendimento aos discentes, servidores e pessoas em geral com surdez e que sejam usuárias da Língua Brasileira de Sinais – Libras, representando um aumento de mais de 100% no número de tradutores intérpretes de Libras que atuam em toda a instituição”, comemora Aurora.

Ainda segundo a diretora, ao promover melhores condições de acesso à informação e em condições igualitárias a todas as pessoas, esta contratação vai ao encontro das finalidades institucionais do IF Sudeste MG, qual seja oferecer educação pública, gratuita e de qualidade, considerando não somente a necessidade do cumprimento das leis, mas também a visão do IF Sudeste MG que é de “ampliar a eficiência acadêmica gerando, difundindo e aplicando conhecimento e inovação no ensino, pesquisa e extensão na gestão participativa e na inclusão social”,  assegurando a estes estudantes o direito ao acesso, à permanência, ao êxito e consequentemente sua inserção no mundo social e do trabalho.

Muito além de uma bela iniciativa

“Acho que vai muito além de uma bela iniciativa, como muitos pensam. Trata-se de cumprir os direitos das pessoas com deficiência e necessidades especiais. Então, na minha opinião, o investimento em inclusão é fundamental. Os surdos, assim como quaisquer outros cidadãos, precisam ter voz, precisam ser ouvidos, e, é para isso que serve nosso trabalho”, avalia a intérprete.  É evidente que esta contratação traz otimismo aos que se preocupam com a construção de um mundo mais democrático, com igualdade de oportunidades. Mas, além disso, a ação garante direitos fundamentais do indivíduo, como aponta Primaine Richelly, uma das novas intérpretes do IF Sudeste MG:

“Acho que vai muito além de uma bela iniciativa, como muitos pensam. Trata-se de cumprir os direitos das pessoas com deficiência e necessidades especiais. Então, na minha opinião, o investimento em inclusão é fundamental. Os surdos, assim como quaisquer outros cidadãos, precisam ter voz, precisam ser ouvidos, e, é para isso que serve nosso trabalho”, avalia a intérprete.

Coordenação-Geral de Comunicação Social e Marketing

IF Sudeste MG | Reitoria

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.