Em Iúna, todos no combate ao mosquito aedes aegypti

Iúna
chikungunya e zika vírus– Combater os focos de proliferação do aedes aegypti, mosquito responsável pela transmissão de doenças graves como dengue, chikungunya e zika vírus, é a meta da equipe de Vigilância Ambiental, da Secretaria Municipal de Saúde, que convoca a população de Iúna para receber os agentes e também atuar no controle, vistorias e eliminação dos criadouros do mosquito.
Nos últimos seis meses, Iúna não registrou casos das doenças, mas, de acordo com o agente de Controle de Endemias, Danilo Leite Lima Alonso, o município possui muitos focos do mosquito, em especial no distrito de Laranja da Terra.
“Ainda não há casos de pessoas que contraíram dengue, chikungunya ou zika vírus no município, mas isso não significa que não temos pessoas infectadas porque elas viajam e voltam com a doença, podendo se tornarem reservatórios. Por isso, é importante que todos os moradores sejam vigilantes quanto à limpeza de suas casas e quintais e que eliminem objetos que possam acumular água, e deixem os agentes entrarem nas casas, pois além de combaterem as larvas eles orientam os moradores sobre como erradicar os focos do mosquito”, destacou Danilo.
Os agentes de endemias de Iúna realizam visitas domiciliares durante todo o ano, na cidade e na zona rural. E este período de chuvas é propício para a proliferação do mosquito. Por isso, é importante que as pessoas reforcem as ações para eliminar criadouros no quintal de casa ou em terrenos baldios. As medidas incluem, por exemplo, verificar se a caixa d’água está bem fechada, não acumular vasilhames no quintal, verificar se as calhas não estão entupidas e colocar areia nos pratos dos vasos de planta.
Zika Vírus
Sobre o zika vírus, doença que vem alarmando toda a população brasileira, o agente de Controle de Endemias, Danilo Leite Lima Alonso, lembrou que a incidência dessa doença no Brasil deve ser vista com muita seriedade.
“Os primeiros registros foram em abril deste ano e, segundo o Ministério da Saúde, o efeito mais grave é a deformidade do cérebro de bebês em gestação. E esse vírus tem sintomas comuns, como coceira na pele e febre, que se confundem com as de outras doenças. Por isso, sentindo qualquer desses sintomas é importante que a pessoa procure logo uma unidade de saúde para investigar”, alertou Danilo.
A equipe do setor de Vigilância Ambiental vem participando das reuniões e capacitações promovidas pelo Governo do Estado especificamente pra tratar o combate ao zika vírus.
“Estamos participando das ações da superintendência regional de saúde e do Governo do Estado e estamos por dentro de todos os protocolos relacionados a nova doença zika vírus. Nossos agentes continuam realizando as visitas às casas, mas precisamos da ajuda de toda a população pra combater o mosquito”, comentou a coordenadora de Vigilância em Saúde, Lizandra Coelho Nunes.
Faça a sua parte!
A população também pode fazer a sua parte caso detecte possíveis focos do mosquito em terrenos baldios vizinhos ou outros locais suspeitos, por meio do telefone (28) 3545-3106. A Vigilância Ambiental de Iúna funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h, e das 13h às 17h.
Números
Até o momento, o Espírito Santo registrou 252 casos suspeitos de infecção pelo zika vírus, sendo cinco confirmados laboratorialmente (04 em Vitória e 01 em Vila Velha). O Estado tem ainda 14 bebês, entre nascidos e em gestação, diagnosticados com microcefalia, mas ainda sem confirmação de relação com o zika vírus.

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *