Fim da renda própria do Samal

20151019_100214– O Samal era e ainda é, uma autarquia  interligada a prefeitura de Manhuaçu, mas sempre teve renda própria desde a sua fundação.
Durante ao longo dos anos, o Samal contava com a Usina de reciclagem que cobria os salários dos funcionários com sobra. O que sobrava adquiriam caminhões, gericos e etc. O número de funcionários eram mais que o dobro, 90% dos funcionários ou até mais faziam horas extras e não faltava dinheiro.
Quando esta administração tomou posse, foi esta situação que encontraram. Tanto foi que exibiram no jardim da Igreja São Lourenço os caminhões e gericos comprados com o dinheiro da reciclagem realizada pelo Samal.
Porém, resolveram que os funcionários eram velhos, decidiram fazer concurso no Samal, teve um dos secretários que chegou a dizer que com este concurso iriam renovar, colocar gente nova no lugar da velharada, isso foram as palavras dele.
Hoje o Samal possui um quadro de funcionários insuficiente para a limpeza das ruas, a usina estava as moscas, até que pessoas que estavam sem trabalho, dentre eles, diversos funcionários que foram demitidos depois de ter entregado os melhores anos da suas vidas aos serviços do Samal. Funcionários estes que eram analfabetos e semi analfabetos sem nenhuma chance de passar em um concurso público.
De acordo com informações, estão fundando uma cooperativa e comenta-se que o diretor do Samal está por trás disso. VERDADE? MENTIRA? Vai saber, mas onde há fumaça, há fogo.

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *