Zé Roberto chega empolgado ao Palmeiras

– Lateral-esquerdo, volante, meia, ponta… São várias as funções que Zé Roberto já desempenhou no futebol ao longo de sua carreira. De volta ao futebol paulista, agora aos 40 anos, o jogador apresentado na última semana como uma das principais contratações do Palmeiras para 2015 prometeu muito fôlego para conquistar a exigente torcida alviverde.

Na Academia de Futebol, o ex-gremista chegou causando impacto muito positivo. Além da aprovação do elenco, o jogador iniciou pré-temporada esbanjando boa forma física, o que rendeu elogios da comissão técnica e de torcedores.

Sempre apontado pelos companheiros como um exemplo de profissionalismo, Zé não se descuida fora de campo. Durante as férias, o trabalho indiciado por um amigo preparador físico alemão que o acompanha desde os tempos de Bayern de Munique é seguido a risca. No dia a dia do clube, pelo menos uma hora de exercícios na sala de musculação todos os dias antes das atividades. Uma disposição que lembra um jovem que ainda busca seu espaço entre os profissionais.

– Muitas pessoas me perguntam o que me motiva, por causa da minha idade e das conquistas que eu tenho. Minha motivação é essa. Eu tenho vivido os melhores momentos da minha carreira depois dos 30 anos – diz.

Com uma carreira consagrada ao longo de 21 anos dedicados ao futebol, com duas Copas do Mundo no currículo – 1998 e 2006 – e passagens por clubes como Real Madrid, Bayer Leverkusen e Bayern de Munique, Zé Roberto nem sempre teve um físico de fazer inveja.

– Eu não era forte porque faltava muita coisa. Muitas das vezes não tínhamos a mistura. Minha alimentação era somente o que tinha em casa, o pão com chá, o almoço era um arroz com ovo, e na janta, eu e meu irmão esperávamos a minha mãe no ponto de ônibus sabendo que ela viria com alguma alimentação. Às vezes era um pão, às vezes era meio quilo de arroz para nos alimentarmos antes de dormir – lembra.

A infância difícil na Vila Ramos, na Zona Leste de São Paulo ao lado da mãe e de quatro irmãos quase fez Zé Roberto virar office boy. Foi aí que a insistência da dona Maria Andrezina o colocou no Canindé para iniciar sua trajetória com a camisa da Lusa.

Zé Roberto relembra momentos da vida (Foto: Felipe Zito)
Zé Roberto relembra momentos da vida (Foto: Felipe Zito)

– Fiz uma ficha em uma empresa e fui aprovado para trabalhar de office boy. Em três meses eu tinha carteira assinada, vale-refeição, vale-transporte. Estava muito feliz. Mas de repente minha apareceu à noite em casa. Ela tinha saído do trabalho mais cedo e tinha ido até a Portuguesa para fazer minha ficha em uma peneira – diz o palmeirense.

– Eu não pensava mais em jogar, estava muito feliz no emprego e por poder ajudar dentro de casa. Ela disse que eram as últimas fichas. Eu fui meio que forçado, pedi para meu patrão me liberar um dia. Na Portuguesa a fila dava volta no Canindé. Tinha fila para goleiro, lateral, zagueiro, meio-campista e atacante. Tinha chegado 14h e não tinha entrado ainda 17h30. Aí falei que não ia mais ficar na fila dos meias e fui para a lateral. Não fui aprovado. Estava indo para o ponto, triste, e quando olho para o lado minha mãe estava com outras duas mães falando com o treinador, que não era justo, que tínhamos perdido o dia de trabalho, que não tinham avaliado direito. O treinador anotou os nomes para que pudéssemos voltar depois. Quando eu voltei fiz o teste e passei- completa.

Na base da Portuguesa, Zé passou a ter atenção especial. Foi no Canindé que ele começou a ser acompanhado por uma nutricionista, com o objetivo de ganhar força e mais alguns quilos. Depois de estrear pelo profissional, o sucesso foi rápido, com passagens pela seleção brasileira e venda para o Real Madrid, da Espanha.

Mas foi na Alemanha, anos depois, que o atleta passou maior parte da carreira, quando atuou por Bayer Leverkusen, Bayer de Munique e Hamburgo. O Catar, porém, é o responsável por um dos episódios mais emocionantes na vida do jogador.

– Quando ganhamos a Copa do Rei, no Catar, nosso time foi convidado para jantar no palácio do rei. Quando entrei lá veio uma história na minha mente. Eu, um garoto de São Paulo, sonhador, que tinha passado por diversas dificuldades, olhei para o buffet e vi que tinha lagosta, caviar, as melhores comidas. Mas eu chamei o tradutor e pedi para o cozinheiro me fazer arroz com ovo. Todo mundo ficou me olhando e achando estranho. Um jogador me perguntou o motivo e eu, com os olhos cheios  de lágrima, falei que era para não esquecer nunca de onde eu saí – conta.

Para 2015, Zé Roberto chega ao Palmeiras com o peso de principal contratação alviverde para a temporada até o momento. Acostumado com a pressão do futebol profissional, o jogador tem confiança de que os dias ruins já fazem parte do passado no clube.

– Um clube grande sempre passa por fases boas e ruins. Essa fase do Palmeiras de dois anos para cá, estou com sentimento que isso passou. Temos de pensar no presente para sonhar com o futuro. O presente do Palmeiras é diferente, não estamos em 2014 mais. Estamos em um ano novo – afirma o meia, antes de falar sobre sua empolgação no Verdão.

– Foi me apresentado um projeto com um treinador vencedor, para agregar em um clube vencedor que já tem uma base e que estão chegando jogadores promissores. Juntando tudo isso, a probabilidade de fazer um grande ano existe. Agora temos de colocar em prática. Estou muito motivado a dar muita alegria a todos os torcedores palmeirenses apaixonados pelo clube. Estamos muito deles também, apoiando e lotando a nova arena para que possamos fazer aquele estádio ferver em 2015 – finaliza.

Zé Roberto mostra boa forma em apresentação no Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)
Zé Roberto mostra boa forma em apresentação no Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

G1 – Manhuaçu Notícia

Marta Aguiar

Eu, Marta Rodrigues de Aguiar nasci em: 27/08/1958, sou funcionária pública, fui a primeira presidente do Conselho de Turismo, sou escritora e acadêmica da (ACLA), Academia de Ciências Letras e Artes de Manhuaçu-MG, Possuo cursos de Organização de Eventos, Secretariado Executivo, Informática, Designer Gráfico, (CorelDraw e PhotoShop), Cursando mais uma vez Designer Gráfico na Prepara com mais duas especializações. (CorewDraw, PhotoShop, PageMaker e InDesigner). Sou Repórter e Fotógrafo, trabalhei com Devair Guimarães no Jornal das Montanhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *