Histórias do 11º BPM de Manhuaçu (MG)

Comandante do Tenente Coronel Rhodes 11º BPM de Manhuaçu

Poucas pessoas tem conhecimento da história do 11º Batalhão de Polícia Militar de Manhuaçu, de que história começou com os “Sentinelas do Caparaó”, da sua criação, da Lei nº 1.526 de 31 de dezembro de 1.956, que passou ser oficial em 10 de agosto de 1963, quando o Governador Magalhães Pinto marcou sua presença na cidade, da sua 1ª instalação que foi no antigo Ginásio Manhuaçu, em 10 de agosto de 1963 até dezembro do decorrente ano, quando foi transferido para um galpão da Rede ferroviária Federal, no tão conhecido “Batalhão Velho”, sendo transferida em 10 de janeiro de 1971 para as instalações situada as margens da BR 262, Bairro São Jorge, quando na ocasião se fez presente o governado Israel Pinheiro, do 1º Comandante, o Major Luciano Antônio dos Santos, da ausência do 11º BPM na crise institucional por estar participando do movimento revolucionário de 1964, ficando com a responsabilidade de cuidar dos pontos estratégicos, guarnecendo as fronteiras, participando da Guerrilha do Parque Nacional do Caparaó, quando receberam cariosamente o nome de “Sentinelas do Caparaó”, história essa; que lembra e se confunde com a Milícia de Tiradentes, por suas lutas, seus feitos, suas conquistas e seu heroísmo.

O 11º BPM de Manhuaçu hoje se responsabiliza em manter a ordem em 26 municípios que são: Abre Campo, Alto Jequitibá, Alto Caparaó, Caparaó, Caiana, Chalé, Caputira, Durandé, Espera Feliz, Lajinha, Santa Margarida, Santana do Manhuaçu, Mutum, Luisburgo, Manhuaçu, Manhumirim, Martins Soares, Matipó, Pedra Bonita, Reduto, São João do Manhuaçu, Simonésia, Sericita e São José do Mantimento.

 

 

 

Marta Aguiar

Fonte: Polícia Militar/MG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *